Grupo Globo

Grupo Globo

O Grupo Globo tem como seus maiores símbolos as suas cinco emissoras de televisão aberta, com as quais construiu a segunda maior rede de TV do mundo, atrás apenas da estadunidense ABC (controlada pelo grupo Walt Disney). Roberto Marinho, desde 1965, assim como agora os seus filhos, sempre considerou como os pilares da holding as estações de sinal aberto no Rio de Janeiro (RJ) e em São Paulo (SP), sedes principais, além das de Recife (PE), de Brasília (DF) e de Belo Horizonte (MG).

Os negócios impressos do grupo são controlados pela empresa guarda-chuva Infoglobo, totalmente sobre controle do Grupo, e têm origem na fundação do jornal A Noite em 1911 e posteriormente O Globo, em circulação desde 1925 sem interrupções. O grupo mantém, ainda, o Extra (jornal popular) e o Expresso (jornal local). O Globo e o Extra, além da versão impressa, também circulam em formato digital. O grupo também controla a Editora Globo, fundada em 1952 sob o nome de Rio Gráfica (RGE), que publica 14 revistas, 16 portais e que realiza mais de 40 eventos anuais.

No Sistema Globo de Rádio (SGR), a holding mantém as redes da Rádio Globo (desde a fundaçãoem 1944), CBN, Sound! e BHFM, somando a esta estrutura mais de 50 afiliadas em todas as regiões do país. Na indústria fonográfica, a Globo atua pela editora, produtora e gravadora Som Livre (criada em 1969), que produz hoje mais de 100 artistas.

No ramo de produção e programação de TV paga surgido em 1991, o grupo possui, através da Globosat, 33 canais, sendo 22 com transmissão também em HD (high definition), 9 em PPV (pay per view), um internacional (de futebol, para o público fora do Brasil), além de 8 serviços de conteúdo sob demanda. Os canais da Globosat atingem, em todo o território nacional, cerca de 54 milhões de pessoas, distribuídas por mais de 17 milhões de domicílios.

Além das empresas de produção de conteúdo, o Grupo Globo também enveredou em outros negócios relacionados. Em 1986, Roberto Marinho adquiriu a NEC do Brasil, fabricante de equipamentos de telecomunicações, mas, em 1999, diante de forte crise cambial, vendeu o controle para a NEC Corporation do Japão. Em 1992, adquiriu 15% da SIC – Sociedade Independente de Comunicação, primeiro canal privado de Portugal, que continua exibindo novelas e séries da Globo, mas vendeu suas ações para o Banco Português de Investimento em 2003. Em 1985, comprou também o canal italiano TV Internazionale, detentor dos direitos de transmissão em italiano da Tele Monte Carlo, sediada no Principado de Mônaco, em sociedade com a rede estatal italiana RAI, mas, constatando o fracasso do projeto, decidiu vender a participação em 1994 ao grupo italiano Ferruzzi.

O grupo chegou a deter controle acionário relevante de duas operadoras de TV por assinatura, a NET (cabo) e a Sky (satélite) mas, em 2012, vendeu as cotas da primeira para a Telmex (América Movil Brasil) e da segunda para a DirecTV América Latina (AT&T), permanencendo com um percentual mínimo nas empresas. Em 2001, comprou também o centenário jornal paulistano Diário Popular e mudou seu nome para Diário de S. Paulo, mas o vendeu em 2009 para o grupo Traffic, de José Hawilla (também proprietário da Rede TEM, conjunto de afiliadas da Rede Globo no interior de São Paulo). Também em 2001, assinou contrato de cinco anos com a Telemundo (braço hispânico da rede americana NBC) para a produção de telenovelas em espanhol.

A partir de 1999, a holding enfrentou sua mais grave crise econômica, declarando moratória do pagamento de dívidas em outubro de 2002. A recomposição do grupo se prolongou até 2006 e contou com a participação direta do braço operacional do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que aumentou a cota de participação para reabilitar a NET, uma das empresas que foram âncora da crise, uma operação que só foi finalizada em 2010. Apesar de não ter sido diretamente afetada, a TV Globo, principal veículo do grupo, foi empenhada como seguro no processo de negociação junto a credores internacionais.

Em 2005, faz acordo de distribuição de programação com a Buena Vista Television International, divisão de distribuição da Walt Disney Television International, para direitos de exibição exclusivo no Brasil de atrações da Disney. Em 2010, em parceria com a RBS, afiliada da Rede Globo e da CBN no Rio Grande do Sul, fundou a empresa Geo Eventos, que realizou festivais de música (como o Lollapaluza e o festival de música gospel Promessas) e eventos como a FIC – feira Internacional Cristã, e que fechou as portas em 2013. Em 2012, o grupo resolve se desfazer de parcela do capital social que detinha nas operadoras de telecomunicações NET (Amércia Movil) e Sky (DirecTV América Latina, controlada pela AT&T).

O Grupo Globo figura no ranking dos principais trinta proprietários de mídia do mundo, o Zenith Top Thirty Global Media Owners, publicado desde 2007. Na edição de 2017 desse ranking, que leva em consideração apenas uma parte da receita dos conglomerados, sua receita de publicidade, o grupo ocupou a 19ª posição do ranking, abaixo da 14ª posição que ocupou em 2016, e da 17ª em 2015.

Informações Básicas

Empresa Mãe

Organizações Globo Participações S.A.

Tipo de Negócio

Privado

Forma Legal

Corporação

Setores de Negócio

Mídia, Educação

Propriedade

Proprietário Individual

Veículos de Mídia
Outros Veículos de Mídia

Outros veículos impressos

Jornais: O Globo (share 9,02%), Extra (3,91%), Valor Econômico (1,80%), Expresso da Informação
Revistas: Época (4,86%), Época Negócios, Marie Claire, Quem, Glamour, Casa & Jardim, Auto Esporte, GQ, Galileu, Globo Rural, Monet, Casa e Comida, Vogue, Casa Vogue, Crescer, Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Outras TVs

TV Aberta: cinco emissoras geradoras próprias no Rio de Janeiro (RJ), em São Paulo (SP), em Recife (PE), em Belo Horizonte e em Brasília (DF), além da vinculação direta de outras 118 emissoras afiliadas em todas as 27 unidades da Federação (Rede Globo); TVs por assinatura: GloboNews, BIS, Canal Brasil, Canal Futura, Combate, Gloob, GNT, Mais Globosat, Megapix, Multishow, Off, Premiere, SporTV, Studio Universal, Syfy, Telecine, Universal Channel, Viva; No exterior: IPC World Inc.(no Japão, com programação em português e versão em japonês de alguns programas, e a primeira afiliada da Rede Globo no exterior; Globo Internacional (seis canais de televisão paga disponível via cabo, satélite ou IPTV, atingindo cerca de 118 países em todos os continentes).

Outros Rádios

Rede CBN (2,2%)
Rádio Globo AM/FM (3,1%)
Rádio BH FM

Outros Veículos Online

Portal Globo.com (including G1, GloboEsporte, Gshow, Globosat etc.)
Portal Meus 5 Minutos (meus5minutos.com.br)
Portal Techtudo (techtudo.com.br/)
Portal Zap Imóveis - classificados (zapimoveis.com.br)
Portal Zap Pro - corretores de imóveis (www.zappro.com.br/)
Portal Globo Rádio (globoradio.globo.com/)
Portal Memória Roberto Marinho (www.robertomarinho.com.br/)
Portal Memória Globo (memoriaglobo.globo.com/)
App Globo Mags (globomags.com.br)
VOD GloboPlay (globoplay.globo.com/)
VOD GlobosatPlay (globosatplay.globo.com/)

Fatos

Negócios na Mídia

Agência de notícias

Agência O Globo

Mercado editorial

Editora Globo

Audiovisual

Globo Filmes

Indústria fonográfica

Gravadora Som Livre

Programadora

Globosat

VOD Platform

Globo Play

E-commerce

Loja Globo

Licenciamento de Marcas

Globo Marcas

Provedor de Internet

Globo.com

Distribuição internacional de conteúdo esportivo

Globo TV Sports

Desenvolvimento de Conteúdo para plataformas digitais

VIU Hub

Negócios

Educação, Esporte e Ação social

Fundação Roberto Marinho

Educação, Esportes & Ação Social

Globo Educação

"Playboy Brasil Entretenimento: Joint-venture da Globosat (60%) com a Playboy do Brasil (40%) nos canais pagos Playboy TV, Sexy Hot, Sextreme e Venus

Telecine: joint-venture da Globosat (50%) com os estúdios de cinema 20th Century Fox (12,5%), Paramount Pictures (12,5%), Universal Studios (12,5%) e Metro-Goldwyn-Mayer (12,5%) nos canais pagos da ""Rede Telecine"": Megapix, Telecine Action, Telecine Cult, Telecine Fun, Telecine Pipoca, Telecine Premium e Telecine Touch. Possui também os direitos de exibição premium da Disney no Brasil;

NBC Universal Brasil - joint-venture da Globosat (47,5%) com a Comcast NBC Universal (52,5%) nos canais Studio Universal, Syfy Brasil e Universal Channel;

Edições Globo Condé Nast - joint-venture com a Condé Nast Publications para a publicação das revistas Glamour, GQ, e Vogue;

Sky Brasil - participação minoritária na Sky Brasil, empresa administrada pela DirecTV Latin America. Mas a Globo ainda participa de decisões importantes da Sky e tem acesso a informações comerciais sensíveis, o que não se destina meramente à proteção do investimento.São acessadas informações comerciais sensíveis, como lançamento de novos produtos e dados sobre atendimento a clientes. Conforme admitido pela Anatel, a Globo possui direito, conforme acordo de cotistas, ao acesso a contratos firmados pela Sky, tendo, portanto, acesso às condições comerciais praticadas pela operadora de telecomunicações com seus fornecedores de conteúdo.

NET (América Movil Brasil, que controla ainda Claro e Embratel) - participação minoritária, mas com direito a vetos especiais, relacionados, por exemplo, a parcerias comerciais no Brasil e compra/venda de conteúdos. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) determinou que fosse reestruturado o controle da NET. Assim, a Embratel passou a deter 95,89% da NET, e uma nova empresa deteria 4,11%. Essa nova empresa, mais tarde denominada EG Participações (""EGPar""), seria detida 74,50% pela Globo e o restante pela Embratel e Embrapar. Além disso, os acordos trazem dispositivos expressos de que a Globo não poderia deliberar a respeito de matérias relativas a serviços de telecomunicações. Complementarmente, os diretores da empresa e membros do Conselho de Administração seriam nomeados apenas pela Embratel.

As informações sobre a Sky e a NET constam no Anexo ao Parecer nº 05/2017/CGAA4/SGA1/SG/CADE, Processo nº 08700.001390/2017-14, do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Endemol Shine Globo (2001-2017) - no período indicadoo, existiu uma joint-venture da TV Globo (50%) com a Endemol (50%) para produzir e licenciar programas e reality shows, acordo que foi finalizado em 2017, quando a Endemol passou a controlar todas as operações realizadas no Brasil."

Informações Gerais

Ano de Fundação

1925

Fundador

Irineu Marinho – fundou o jornal “O Globo” com Herbert Moses e Justo de Morais. Seu filho, Roberto Marinho, trabalhou como aprendiz do pai desde adolescente. Irineu Marinho faleceu 21 dias depois do lançamento do jornal.

Empregados

12000

Contato

Organizações Globo Participações - Rua Lopes Quintas, 303, Andar 10Jardim Botânico, Rio De Janeiro, RJ, CEP 22460-010, BrasilTelephone number: (55 11) 3643 2806 | Email: nelson.rocco@cdn.com.brgrupoglobo.globo.com

CNPJ

CNPJ 03.953.638/0001-35 (Organizações Globo Participações S.A.)Outros: 10.739.386/0001-01 (Edições Globo Condé Nast); 04.067.191/0001-60 (Editora Globo SA); 01.007.021/0001-000 (G2C Globosat); 27.865.757/0001-02 (Globo Comunicação e Participações SA); 33.

Informações Financeiras

Receitas (Dado Financeiro/ Opcional)

2016: R$ 17 bilhões

Lucro Operacional (em US$ M)

2016: R$ 2,3 bilhões

Advertising (in % of total funding)

Sem Dados

Gestão

Diretoria

Roberto Irineu Marinho, Jorge Luiz de Barros Nóbrega, Paulo Tonet Camargo, Antonio Cláudio Ferreira Netto, Cláudia Falcão da Motta, Cristiane Delecrode Ribeiro, Renata Frota Pessoa, Sérgio Lourenço Marques.

Diretoria Não Executiva

Roberto Irineu Marinho, João Roberto Marinho, José Roberto Marinho, Jorge Luiz de Barros Nóbrega, Pedro Ramos de Carvalho.

Conselho Fiscal

Sem Dados

Outras Informações

Dados Publicamente Disponíveis

dados de propriedade são facilmente acessíveis em outras fontes, como Juntas Comerciais etc

2 ♥
  • INTERVOZES LOGO
  • Reporter without borders
pt
en
  • Projeto por
    Intervozes Logo
  •  
    Reporters without borders
  • Financiado por
    BMZ