This is an automatically generated PDF version of the online resource brazil.mom-rsf.org/en/ retrieved on 2019/03/25 at 02:54
Reporters Without Borders (RSF) & Intervozes - all rights reserved, published under Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International License.
Intervozes LOGO
Reporteres sem fronteiras
  • INTERVOZES LOGO
  • Reporteres sem fronteiras
pt
en

Igreja Católica - Instituto Brasileiro de Comunicação Cristã (Inbrac)

Igreja Católica - Instituto Brasileiro de Comunicação Cristã (Inbrac)

O INBRAC – Instituto Brasileiro de Comunicação Cristã foi fundado em 1992 por leigos católicos e religiosos, especificamente para manter a futura Rede Vida, que teve início com a concessão da TV Independente de Barretos. Sua gestão é formada por conselhos compostos por religiosos e leigos, como o Conselho Superior de Orientação e Administração, o Conselho Consultivo, formado por sócios beneméritos, o Conselho Fiscal, constituído por sócios contribuintes, e uma Diretoria Executiva com dirigentes contratados.

Diferentemente de outras associações gestoras de veículos de comunicação católicos no Brasil, o INBRAC não tem reconhecimento oficial do Vaticano, embora mantenha relações com o mesmo para a transmissão de eventos. No Brasil, possui parcerias com diversas dioceses para a produção de notícias.

Em seus anos iniciais, o INBRAC arrecadou recursos de entidades ligados à Igreja Católica, como os Salesianos, o Verbo Divino, os Dominicanos, os Orionistas, os Espiritanos, as Missionárias, as Servas do Espírito Santo, as Franciscanas Missionárias de Maria, as Filhas de Maria Auxiliadora e os Padres Carlistas. Também colabora com a promoção de instituições e projetos católicos, como a Ajuda à igreja que sofre e a Fazenda da Esperança.

Desde a concessão da TV Independente de Barretos, em 1990, até a formação da rede nacional Rede Vida, o grupo contou com articulações entre empresários leigos, religiosos e políticos. O projeto foi iniciativa de um leigo católico, o jornalista João Monteiro de Barros Filho, dono, com seus dois filhos, do Grupo Monteiro de Barros de Comunicação, com sede em Barretos (SP). O empresário recebeu o apoio do então bispo de Botucatu (SP), Dom Antônio Maria Mucciolo, e de Dom Luciano Mendes de Almeida, então arcebispo de Mariana (MG) para adquirir a concessão da TV.

A concessão foi obtida em março 1990, no final do governo de José Sarney (PMDB, 1985-1990), com a ajuda de Augusto Marzagão, amigo pessoal de Monteiro de Barros Filho que ocupou o cargo de secretário particular do presidente da República; em 1992, com a fundação do INBRAC, os proprietários cederam a concessão à associação para a criação da Rede Vida. Como explica Placeres (2015): "a Rede Vida pertence ao INBRAC, e o instituto contrata os serviços da TV Independente, de propriedade do GMB que gera o sinal da Rede Vida". A operação teve a assessoria do jurista Ives Gandra da Silva Martins, professor universitário e membro da Opus Dei, organização conservadora católica dotada de grande autonomia na estrutura da Igreja, e Celso Neves, advogado e professor.

Para iniciar o empreendimento, Monteiro de Barros Filho e o frade franciscano Hans Stapel (coordenador do projeto Fazenda da Esperança), viajaram para conhecer projetos de comunicação católica em outros países e conseguiram um empréstimo na Alemanha no valor de 3 milhões de dólares; conseguiram também a verba antecipada daquele que seria o primeiro anunciante da emissora: o hoje extinto Banco Bamerindus. No Brasil, solicitaram apoio técnico de professores do curso de Gestão de Processos Comunicacionais do Departamento de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (USP). A expansão da rede contou com a articulação entre religiosos e políticos, como na reunião entre Dom Luciano Mendes de Almeida, então presidente da CNBB - Conferência Nacional dos Bispo do Brasil, e o presidente da República Itamar Franco (PMDB), em 1994.

Na comemoração dos seus 15 anos, em 2010, a Rede Vida foi homenageada no Senado Federal, presidido por José Sarney (PMDB), a pedido do senador Arthur Virgílio (PSDB-AM); no ano seguinte, foi homenageada de novo, a pedido do senador Randolfe Rodrigues (então no PSOL-AP). Elpídio Amanajas, assessor de relações corporativas e institucionais da Rede Vida, trabalhava com Sarney no Conselho de Comunicação do Senado Federal.

Informações Básicas

Empresa Mãe

Instituto Brasileiro de Comunicação Cristã – INBRAC

Tipo de Negócio

Comunitário

Forma Legal

Organização sem fins lucrativos

Setores de Negócio

Religioso, Mídia.

Propriedade

100%
Veículos de Mídia
Outros Veículos de Mídia

Outras TVs

Rede Vida

Outros Veículos Online

Portal Pela Vida (http://pelavida.redevida.com.br/); Portal Rede Vida (http://www.redevida.com.br/)

Fatos

Negócios

Religioso

Santuário da Vida (São José do Rio Preto-SP)

Informações Gerais

Ano de Fundação

1992

Fundador

João Monteiro de Barros Filho, João Monteiro de Barros Neto, Luiz António Monteiro de Barros, Roberto Montoro Filho, Jomar Wladimir Dal Moro, Luiz Hermínio M. Mucciolo e Antónia A. Mucciolo; dom António Maria Mucciolo, dom Luciano Mendes de Almeida e dom

Empregados

Sem Dados

Contato

Rua Traipú, 273 - Pacaembu, São Paulo - SP, 01235-000Telefone: (11) 3666-4509

CNPJ

CNPJ 69.271.849/0001-04

Informações Financeiras

Receitas (Dado Financeiro/ Opcional)

Sem Dados

Lucro Operacional (em US$ M)

Sem Dados

Publicidade (em % de receitas)

Sem Dados

Gestão

Diretoria

Sem Dados

Diretoria Não Executiva

Sem Dados

Conselho Fiscal

Sem Dados

Outras Informações

Notícias

http://blog.opovo.com.br/ancoradouro/conselho-da-rede-vida-se-encontra-com-o-presidente-temer/

Conselho do INBRAC se reúne com o presidente Michel Temer, em outubro de 2016. Acesso Out. 2017

Dados Publicamente Disponíveis

dados de propriedade são facilmente acessíveis em outras fontes, como Juntas Comerciais etc

2 ♥

Fontes

https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/93373/lima_ec_me_assis.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Lima, Eduardo Campos. Formação da Rede Vida de Televisão: entre a política brasileira de concessões televisivas e as diretrizes católicas de comunicação social, 1989-1995. Dissertação (Mestrado). UNESP, 2010. Acesso Set. 2017

  • Projeto por
    Intervozes Logo
  •  
    Reporteres sem fronteiras
  • Financiado por
    BMZ